domingo, 1 de março de 2009

a desagradável arte do flerte.

bem-aventurados aqueles que já possuem um namoro, casamento, ou até mesmo um tico-tico-no-fubá e não precisam mais passar pela patética fase da paquera, do tô-te-dando-mole, dos olhares desejosos e dos flertes. porque, deus do céu, FLERTAR SUCKS. ¬¬'

uma vez eu li uma entrevista do jack johnson (surfista e músico nas horas vagas, ou vice-versa) onde ele dizia que conquistou a mulher que viria a ser sua esposa na primeira vez em que a viu: assim que ela entrou no refeitório da faculdade em que eles estudavam, eles trocaram intensos olhares, mantidos por vários e vários segundos. e eis a preciosa dica de mr. johnson: nunca seja o primeiro a desviar um olhar quando estiver flertando com alguém.

okay, na teoria é lindo... mas eu não consigo deixar ninguém nem perceber meus olhares, quanto mais mantê-los deliberadamente num momento sublime de puro contentamento (o que quer que isso signifique, rs). meus olhares são furtivos, escondidos na escuridão de um mundo clandestino, sorrateiros como um saqueador no momento do ato ilícito. são poucas as pessoas que conseguem captar o exato momento em que meus olhos expressam meus desejos mais enraizados. há, entretanto, os momentos em que propositalmente deixo meu olhar se encontrar com o de outra pessoa, e então é dada a tragédia: minha expressão facial se contorce, meus passos tornam-se mecânicos e desengonçados e tudo soa desesperadamente artificial. é um equívoco inquestionável toda vez que tento forçar a situação a esse extremo.

e se os olhos são de crucial importância para o flerte, logo após vem a linguagem corporal; afinal, quem nunca deu aquela encolhida na barriga quando a pessoa que lhe interessa passa? "onde coloco a mão? nos bolsos? deixo-as livre? deus, ele vai me achar patético." daí uma curvadinha para a esquerda, infla um pouco o peito e fica parecendo um pombo empertigado. você se acha super sexy e acha que acabou de ganhar o coração dele. "por que essa pessoa tá praticando contorcionismo na minha frente?" é o que ele se pergunta.

e tudo isso citado acima ainda não é a pior parte de flertar para mim: no caso de vocês, é fácil saber para quem lançar charme e onde estão suas verdadeiras chances de se dar bem. mas tente fazer isso às cegas, com a iminente hipótese de tomar uns sopapos na cara por estar lançando olhares pra pessoa errada. é por isso que eu tenho sempre um belíssimo discurso de defesa montando à mente:

(raphael olhando pra quem não devia)
(quem não devia arqueando as sobrancelhas)
- coé, que 'cê tá olhando, rapá?
(raphael olha pros lados, aponta o indicador para o próprio peito)
- oi? é comigo?
(quem não devia empurra raphael, aborrecido)
- tu tá me manjando, brother? cê tá maluco? perdeu a noção do perigo?
- ué carlos? você não lembra de mim, não? nós estudamos juntos no 3º ano.
- meu nome não é carlos, brother.
(pausa dramática; raphael faz uma expressão teatral, arregala os olhos e gagueja um pouco para dar mais verossimilhança à atuação)
- nossa, mas você é a cara do carlos, cara! putz, se fosse irmão gêmeo era capaz de não parecer tanto. (passos lentos pra trás, desvencilhando-se devagar da conversa) foi mal aí, tenha uma boa tarde! se cuida, até mais ver! (sumindo na primeira esquina próxima).

pois é, vida de solteiro não é tão fácil assim como as pessoas costuma dizer. quem dera as coisas fossem como no cinema, um momento meio celine e jesse, um convite num trem pra ir comer alguma coisa no vagão-restaurante...


... mas a vida não é um blockbuster hollywoodiano e nossos flertes estúpidos nunca serão um momento digno de ser retratado em 35mm.

2 comentários:

tarcisio.donizete disse...

adorei sua desculpa sobre o colega de escola!!!

:D

se pintar situação parecida comigo, vou usá-la!!!!
hauahuahuaha

Abração!!!

Raρнaєl Cardosø disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

a gente sofre, meu amigo...
daí só nos restar criar artimanhas, né?
KKKKKKKKKKKKK

abraços pra ti também =)