quarta-feira, 4 de junho de 2008

but heaven knows i'm miserable now

infelicidade, infelicidade mesmo eu nunca tinha conhecido. momentos tristes, pequenas depressões de meia hora, momentos nostálgicos, saudade de coisas que vivi, vontade de chorar, desespero contra tudo e todos... tudo isso de alguma forma já havia feito parte de algum momento na minha vida, seja naquela coisa rebelde sem causa da adolescência ou seja no momento que você pára pra refletir sobre sua vida e percebe que "fudeu, minha vida é uma merda!". mas a infelicidade nunca se infiltrou aos pouquinhos, nunca foi tomando seu lugar pedacinho por pedacinho, tornando meu sorriso uma forma forçada de fingimento da alegria que habitava meus momentos outrora. ela veio corroendo todos os laços que eu tinha com as pessoas, desatando-os deliberadamente, transformando a paz das minhas amizades no caos da solidão. e, de súbito, me pegando desprevinido, ela se apossou de mim e me transformou num cara infeliz.

se minha mãe lesse isso, ela ia vir com aquele sermão de sempre: "como você pode dizer isso tendo uma casa pra viver, comida no prato, bla-bla-bla" e daí cita as crianças africanas e sua dor, os terremotos na ásia e o povo sem teto e todas as grandes tragédias da humanindade, como se só eles tivessem direito de sofrer. okay, pode ser um pouco egoísta falar da minha infelicidade enquanto tanta coisa acontece no mundo, mas no escuro do meu quarto, o coração que bate desritmado, apertado, vazio, é o meu. as lágrimas que correm pelo meu rosto e a garganta sufocada, ávida por um grito de liberdade são as minhas. então, acho que também sou digno de ser avaliado como alguém que está sofrendo nesse mundo podre e quente do século XXI.

e vejamos então as raízes desses novos tempos obscuros e nefastos, porque, afinal, a infelicidade entrou na minha vida pela porta da frente e eu sei exatamente o motivo de ela ter se alocado por aqui, como uma praga devoradora de sorrisos:

- a long time ago, we used to be friends:
no começo desse ano, logo após a virada, eu fiz uma previsão que me soou óbvia e gerou exclamações como "pára com isso!", "cê tá falando bobagem" e talz: eu disse que 2007 tinha sido o último ano da nossa amizade, na forma em que ela consistia. entenda que eu conheço o filipe desde meus 6 anos de idade, diego e marcinho um pouco depois e o gustavo logo no ínicio da pré-adolescência. e sempre foi uma amizade bem forte, coisa de andarmos juntos quase que 24 horas por dia. o marcinho foi o primeiro a se afastar (ou ser afastado, não sei ao certo e não entrarei no mérito da questão), mesmo que ainda estivesse sempre pronto pra tudo que envolvesse o grupo. em seguida, diego despediu-se dessa amizade com muita facilidade e tudo bem, ele tem lá os sonhos dele e isso não inclui a gente. sobramos eu, filipe e gustavo e de certa forma, nós 3 sempre fomos muito mais ligados (como um grupo principal e marcinho e diego um sub-grupo, se é que me entendem). mas eu sabia que não ia durar e eu, particulamente, tinha um motivo pra acreditar nisso piamente. o estranho é que eu não precisei nem desse motivo pra dar como encerrada essa amizade, da forma que ela existiu. a coisa simplesmente aconteceu: filipe se afastou por um motivo incógnito, parecendo ter sido pego por uma onda de infelicidade tão profunda como a minha; gustavo tá namorando e feliz, e o dobro de felicidade invade meu coração, porque eu só desejo o melhor pra esses caras. e, eles insistem em colocar um espelho falso na frente do rosto e fingir que a coisa ainda é a mesma, mas não é. e parte da minha solidão atual vem do vazio que se alocou depois de perder as únicas companhias certas que eu tinha no mundo.

- do i have to be like them or be lonely?
sabe, as coisas meio que me forçam a acreditar em carma. afinal, só pode ser resgate de uma vida anterior vir pro mundo com a habilidade de amar tão apurada, com a facilidade pra encher seu coração de bons sentimentos e ser julgado e discriminado por isso. eu gostaria de entender, mas não consigo e passo então a procurar explicações em forças superiores, porque, como pode um fator biológico definir sua vida dessa forma brusca e violenta?
por ser um covarde e não ter peito de encarar a sociedade, eu fechei minha concha e me tranquei ali dentro pro mundo exterior. de vez em quando eu a abria um pouquinho e espiava lá fora, e nessas horas meu coração deixava-se pegar pelo tal amor ou coisa do gênero. e eu já sofri muito por isso, mesmo que de uma forma diferente. o amor pra mim continua sendo uma coisa distante e inalcançável e eu me pergunto até quando vai durar isso. porque a ausência de uma pessoa está fazendo uma ferida enorme agora e eu tenho medo de que acabe matando aos poucos meus sentimentos, me transformando numa pessoa fria e incapaz de amar.
eu não espero aceitação, não. esse é um ponto que eu não quero me envolver, porque a sociedade é a coisa mais podre que já pisou nesse planeta, com sua hipocrisia descomedida. eu só espero poder preencher esse vazio de alguma forma e rápido, porque tá doendo pra caralho! se alguém ai em cima anda guiando meu carma, pelo amor de deus, eu já aprendi a lição! (brincadeira, se ivando vir isso, ele me mata rs).

bom, preciso ir agora. hora do trampo. hora de colocar um sorriso falso no rosto e fingir pro mundo ali fora que aqui dentro não bate um coração escurecido pela falta de tolerância do mundo.

ps: hoje é aniversário do gustavo. feliz aniversário irmão. sabe que eu te amo, neh? ;)

Um comentário:

Marcio disse...

Cara talvez eu esteja me envolvendo em algo q eu naum deva, mas como eu tenho por mim proprio minha consciencia trankila, vou m propor a m entrometer.
Pow seu blog tah interessante, vc pode ate ficar chateado pelas coisas q eu vou falar como minha opinião e eu faço isso pq eu m concidero seu amigo.
Começo fazendo uma correção em uma das postagens suas eu nunca m afastei d vcs, na verdade eu senti ao contrárioe eu acho q td q aconteceu foi um mau entendido, pq naum q eu esteja namorando ou qq coisa do genero q eu eskeci meus amigos pq talvez nessa vida seja a única coisa q possamos levar dessa vida como uma coisa boa de verdade, eu sempre m senti excluido da mulecada pq varias vzes eu via vcs saindo ou marcando qq coisa e naum m chamavam, tanto q eu estou mt chateado com um último episodio trajico das nossas amizades, q foi o q aconteceu no episodio casa do Gustavo, pq eu nem fui convidado por algo q eu nem fiz q foi o fato da Gabriela ter feito o q fez selecionar quem entra na casa do Gustavo e eu fiquei mt chateado pq a gente sempre se reuniu aki em ksa e eu nunca proibi ninguém de entrar aki e nunca falei q naum gostva d ninguém q nem ela falo q naum gosta d mim e dai entaum eu nem tenhu coragem de ir a ksa do gustavo, mas eu nem ligo por isso, deixa pra lah isso naum vai afetar nossa amizade so q o q eu tenho certeza q aconteceu foi um erro do destino pq , eu sempre estou trabalhando e vc sabe disso, vc, LG, phill e até por um milagre de uma força maior o Dix ,rs.
E pow eu sinto mt por essa solidão sua e eu jah passei mt por isso nas vezes q vcs saiam e eu vinha pra ksa sem ter o q fazer, sinto falta dos dias em q marcavamos e dormiam tds aki em ksa e a gente se divertia mt madrugada a dentro (td bem q se alguém ler isso vai achar gay mais eu nem ligo vc sabe o q é msm hehehe).
Pow eu achu super legal vc tentar
fazer sua faculdade e eu sei q é dificil qdo a gente acorda pra vida e v como as coisas saum dificeis, mas eu acredito mt no seu potencial naum so como uma pessoa intelectual q vc é mas como ser humano tbm.
Espero q nos possamos reacender nossa amizade pq eu acho q é uma coisa forte q nunca vai se apagar mais vai ficando como uma pequena chama q ta sobrevivendo mt fraca.
Pow achei q esse passeio pra Petropolis seria uma boa chance de estarmos todos juntos mas nada q nois tentamos fazer tem dado certo e pow eu ainda tenhu mt afeição com o dix q é com quem eu tenhu falado sempre e pow as vezes vc phill paravam no trailer a noite e conversavamos até tarde e eu achu q esta faltando nos tentarmos nos reunir e voltar a fazer as coisas simples q faziamos e eu volto a pedir desculpas a sua pessoa q talvez eu esteja estragando seu blog mas eu m senti no direito de m meter aki e falar pra vc meu amigo o q eu sinto e eu naum tenhu espelho na cara naum qdo eu tenhu q fala eu falo msm porra.
Abraçaum do fundo do coração meu amigão.rs
PS. Suas fotos estaum escaneadas!
E naum precisa de responder se quiser!
Pow passa amanhã no trailer se der q aih a gente combina para eu lhe enviar as suas fotos!